Sábado, 20 de Julho de 2024
(75) 99168-0053
Feira de Santana Inauguração

Novo centro cirúrgico e recepção são inaugurados no Hospital da Mulher, com investimentos de R$ 3 milhões de reais

Feira de Santana

11/07/2024 10h31 Atualizada há 1 semana
Por: Hely Beltrão Fonte: Conectado News
Luiz Santos
Luiz Santos

Reportagem: Luiz Santos e Hely Beltrão

Aconteceu na manhã desta quinta (11) em Feira de Santana, a inauguração da nova recepção da emergência e centro cirúrgico do Hospital Inácia Pinto dos Santos (Hospital da Mulher). De acordo com o prefeito Colbert Martins (MDB), em entrevista ao Conectado News, os investimentos são provenientes do tesouro municipal na ordem de R$ 3 milhões de reais.

"A ampliação da emergência do Hospital da Mulher, com modificações no centro cirúrgico, equipamentos muito avançados para prevenirmos problemas maiores com relação a identificação de pessoas, pacientes e principalmente, das crianças que nascem aqui. Esse investimento de R$ 3 milhões de reais ainda é algo pequeno que fazemos, mas melhoram a segurança no atendimento de mulheres e bebês que nascem aqui, sendo o hospital do serviço público que mais faz parto na Bahia, as nossas UTI (Unidade de Terapia Intensiva) estão equipadas com o que há de mais avançado e o necessário para a segurança de mães e filhos", disse.

Atendimento a pessoas de outros municípios

"Este é um hospital porta aberta, outros como o Hospital Estadual da Criança (HEC), é porta fechada, são 78 municípios que ficam em nossa área de abrangência, temos outros que não fazem parte dessa área e alguns cuja pactuação é muito menor do que atendemos, de qualquer forma, estamos fazendo pedidos e cobranças às prefeituras para que possam contribuir de forma adequada com o que precisamos fazer de ampliação dessas ações, de qualquer forma, o que não podemos fazer, é deixar de atender, muitas dessas prefeituras que de forma irresponsável, pegam mulheres grávidas em vias de parto, põe na ambulância, que para em uma das ruas próximas ao hospital, sendo orientada a dizer que residem em Feira de Santana. Em uma situação dessas, a prefeitura não vai procurar saber, afinal de contas, há uma mãe e uma criança, que tem o maior respeito, significado, vidas que não podem ser abandonadas".  

Esses municípios podem ser acionados judicialmente?

"É o que estamos fazendo agora, não há uma imposição para que o município pague, com relação a pactuação, significa um acerto que precisa ser respeitado, iremos cobrar de quem queira atender mais pessoas, em nosso hospital nasce muita gente, que são feirenses, mas que são de municípios próximos, não temos nenhuma dificuldade em atender, o que queremos é que a participação dessas pactuações nos dê o equilíbrio econômico e financeiro, o nosso gasto para se ter ideia, é de aproximadamente R$ 6 milhões de reais por mês, que envolve pessoal, alimentação, oxigênio, combustível de ambulância entre outros custos".

Gilberte Lucas

Ao Conectado News, a presidente da FHFS (Fundação Hospitalar de Feira de Santana), autarquia responsável pela administração do Hospital da Mulher, Gilberte Lucas, deu maiores detalhes a cerca das novas instalações.

"Primeiramente, toda uma reforma do centro cirúrgico, um equipamento importantíssimo para a assistência materno infantil do município de Feira de Santana  e região, um investimento de mais de R$ 3 milhões de reais, pois não temos somente os equipamentos adquiridos, a recepção da emergência foi toda revigorada, ampliada, nesta recepção, temos outra ao lado, que é somente do núcleo de acompanhantes, que ficam aguardando informações, sabemos que na obstetrícia, a pessoa tem direito a um acompanhante, mas, neste momento vem muitos parentes, família e a partir de agora temos esse espaço para acolher esses familiares, temos também um núcleo interno de regulação, que faz gestão dos leitos dentro da estrutura interna do hospital. A partir da entrega desta etapa, começaremos uma nova, que é a reforma do centro obstétrico 1, que por ser uma unidade de alta complexidade, não temos como suspender o atendimento para  a reforma geral, então, assim que esta reforma for concluída, passaremos para a etapa da reforma da emergência da parte interna da unidade, em seguida, a reforma do centro obstétrico 2, tudo está planejado em cronograma, empresa licitada, contratada, para que possamos fazer tudo com responsabilidade e não prejudicar a assistência", concluiu.

Francisco Mota, diretor geral do Hospital da Mulher

"Um número maior de salas para aumentar a assistência no município, lembrando que, quando o hospital começou era apenas uma maternidade. Hoje não atuamos apenas com maternidade, temos o maior número de partos na Bahia e o nosso centro cirúrgico está adaptado para cirurgias ginecológicas e estereoscopia, um serviço que faltava em Feira, por isso, com a ampliação do número de salas, aumentaremos o número de cirurgias ofertadas, sabemos que temos uma fila muito grande, vamos diminuir essa fila e consequentemente melhorar a assistência à saúde da mulher". 

Foto

Foto

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.