Sábado, 20 de Julho de 2024
(75) 99168-0053
Bahia Polícia

Desaparecimento da professora Ariane Santos: Justiça converte prisão de ex-companheiro em preventiva

Ariane, vista pela última vez em 25 de junho, continua desaparecida.

06/07/2024 09h25
Por: Heber Araujo Fonte: Bahia Noticia
Reprodução Bahia Noticia
Reprodução Bahia Noticia

O ex-companheiro da professora Ariane Roma dos Santos, de 36 anos, teve sua prisão temporária convertida em preventiva nesta sexta-feira (05), sendo considerado o principal suspeito pelo desaparecimento da vítima em Camamu, no baixo sul baiano. A decisão foi anunciada pela Justiça após mais de uma semana de investigações.

Ariane, que lecionava na Rede Municipal de Camamu, foi vista pela última vez no dia 25 de junho, quando saiu para visitar uma costureira. O suspeito foi preso no dia 04 de julho, após a família registrar o desaparecimento na Delegacia Territorial do município. De acordo com informações divulgadas pela TV Bahia, um primo da vítima relatou que, no dia seguinte ao desaparecimento, Ariane entrou em contato afirmando estar sendo mantida em cativeiro em um sítio da região.

O ex-companheiro, com quem Ariane tem uma filha de cinco anos, nega as acusações. Em depoimento à polícia, ele afirmou que no dia do desaparecimento levou Ariane para um sítio, onde discutiram, e depois a deixou nas margens da BA-001, em Camamu. A principal linha de investigação é de feminicídio. No sítio mencionado pelo suspeito, a polícia encontrou um revólver com um tiro deflagrado, mas Ariane segue desaparecida e nenhum corpo foi encontrado até o momento.

A situação gerou grande comoção na comunidade local. Na última quinta-feira (04), familiares e amigos de Ariane protestaram exigindo maior celeridade nas investigações. A polícia continua trabalhando no caso para esclarecer o paradeiro da professora e as circunstâncias de seu desaparecimento.

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.