Domingo, 14 de Agosto de 2022
(75) 99168-0053
Polícia Denuncia

Peritos reclamam de poeira e barulho no DPT em Feira

Os profissionais reclamam que não foram transferidos para um outro local

26/11/2021 05h14 Atualizada há 9 meses
Por: Ana Meire Fonte: Conectado News
Foto Divulgação DPT
Foto Divulgação DPT

 

O Sindicato dos Peritos Criminais da Bahia (ASBAC) e o Sindicato dos Peritos Médicos e Odonto Legais da Bahia (SINDMOBA) visitaram o Deparrtamento de Polícia Técnica DPT localizado  conjunto Luis Eduardo Magalhães em de Feira de Santana e constataram a denúncia  feita pelos profissionais. 

Os peritos reclamam que não foram  transferidos para outro local (época em que as reparações foram iniciadas), todos os especialistas da Polícia Técnica de Feira, estão trabalhando em meio aos destroços da demolição, poeira e barulhos,os profissionais  afirmam que o departamento está  desassistido.

O Conectado News entrevistou o presidente do Sindicato dos Peritos Criminais da Bahia, Leonardo Fernandes, que afirmou, "a sede do Departamento de Polícia Técnica de Feira de Santana, estava em estado péssimo de conservação, o governador do estado Rui Costa (PT),resolveu fazer uma reforma, que é muito bem vinda, vai modernizar o prédio, o local era o complexo que funcionava a Polícia Civil, a mesma saiu por conta da obra e o DPT ficou, cerca de 40 peritos criminais e médicos estão trabalhando no prédio em reforma ", conta.

"O barulho e a poeira é porque estão quebrando paredes,o ambiente não é propício para o trabalho pericial, para fazer exames, digitação de laudo, nosso pedido é para conclusão da obra,mas que retirem os peritos para outro edifício", diz  Leonardo. 

A secretária de Segurança Publica da Bahia (SSP),precisa fazer essa logística, recebemos a denúncia dos associados, esperamos que eles aluguem um local para colocar os profissionais, não dá para ficarmos no ambiente que estamos", afirma o sindicalista.

"A gente recebe os parentes das pessoas que precisam reconhecer os corpos e não tem uma cadeira em condições para sentar", relata.

Segundo o presidente, os policiais merecem trabalhar em uma estrutura digna, mas dessa forma não dá,a previsão de conclusão da obra é de um ano."Estamos trabalhando na contramão do que o próprio governo fala em observar o distanciamento social e evitar aglomerações por conta da pandemia da Covid-19",disse.

De acodo com Fernandes "os engenheiros e pedreiros que estão realizando a reforma dizem que o trabalho seria muito mais ágil se o local estivesse totalmente desocupado”, concluiu. 

 

 

Reportagem Ana Meire Dias 

 

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.