Domingo, 14 de Agosto de 2022
(75) 99168-0053
Dólar comercial R$ 5,08 0%
Euro R$ 5,21 0%
Peso Argentino R$ 0,04 -0.044%
Bitcoin R$ 131.863,22 +1.482%
Bovespa 112.764,26 pontos +2.78%
Economia Cesta Básica

Cesta básica apresentou redução no mês de julho

Em Feira de Santana

03/08/2022 15h11
Por: Hely Beltrão Fonte: Conectado News
Reprodução/Internet
Reprodução/Internet

A cesta básica de Feira de Santana caiu 0,34% em julho e encerrou o mês com o valor de R$ 519,46. No trimestre, também se constata uma retração no valor da cesta básica, de 1,94%, puxada, sobretudo, pela queda do preço médio do tomate (-32,28%, quando comparado o preço médio de julho com o de abril). No ano, entretanto, a cesta básica registrou elevação de 11,46% e, em 12 meses, o incremento foi de 21,02%.  Conforme dados divulgados pelo IBGE, em 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 11,39% em julho. Apenas o grupo de alimentos e bebidas o aumento foi de 14,60%.

 Sobre os preços coletados em Feira de Santana em julho, a equipe de pesquisadores do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) que trabalha no Programa “Conhecendo a Economia Feirense: custo da cesta básica e indicadores socioeconômicos” informa que, dos doze produtos que compõem a cesta, sete tiveram seus preços médios majorados nesse mês. As maiores elevações foram verificadas para o leite (21,72%), a banana-da-prata (8,13%) e a manteiga (4,37%). Dos produtos que registraram queda de preço médio, os mais significativos foram o tomate (-15,77%), o óleo (-7,55%) e o feijão (-3,50%).

 Em 12 meses, a variação da cesta básica foi de mais 21,02%, sendo as maiores altas de alimentos observadas no café (71,94%), leite (64,36%), farinha (35,31%), óleo (34,69%) e feijão (32,63%). Os únicos dois itens que tiveram queda de preço médio foram o arroz (-4,59%) e a carne (-0,17%). Os demais produtos que compõem a cesta básica apresentaram elevações de preços médios variando de 20% a 30%.

 O prato de almoço do cidadão feirense, constituído de arroz, feijão e carne, correspondeu a 36,11% do valor da cesta básica de julho, percentual inferior ao observado em junho 36,86%. Cabe notar que os três alimentos citados registraram queda de preço médio em julho. O café da manhã convencional, por sua vez,que reúne pão, manteiga, café e leite, representou 33,34% do custo da cesta - percentual maior que o verificado no mês anterior, de 30,87%. Nesse caso, a explicação para o fenômeno provém do fato de que todos os quatro itens apontados terem seus preços médios majorados no mês de julho, com destaque para a elevação do preço do leite, de 21,72%.

 Quanto à participação da cesta básica no salário mínimo líquido vigente (salário mínimo descontado a previdência), constata-se que o trabalhador comprometeu 46,33% do seu ganho com a aquisição dos 12 produtos alimentares em julho. Trata-se de um comprometimento de 0,16 ponto percentual a menor que o calculado em junho (46,49%). Em relação ao tempo de trabalho gasto para a compra dos produtos da cesta, constata-se um dispêndio de 101 horas e 56 minutos, o que significa uma redução de 21 minutos do tempo de trabalho do feirense que recebe o salário mínimo para adquirir a cesta em relação ao observado no mês anterior.

 Ascom UEFS

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.